Olá, Eu sou !

Amy Diamond – uma pequena menina com uma grande voz

Amy Diamond nasceu na Suécia, em uma cidade chamada Norrköping no dia 15 de abril de 1992. Seu pai é Inglês e sua mãe é Sueca. Quando ela tinha 10 meses seus pais se mudaram para a Inglaterra. Eles voltaram para a Suécia quando Amy tinha quatro anos e seis meses. Amy tem três irmãs.

Amy começou a cantar quando tinha apenas um ano de idade. Seus pais acharam de vital importância que ela não tivesse treinamento vocal, assim, Amy pôde desenvolver o seu talento vocal sozinha e a sua própria maneira.

Amy é uma artista calma, confiante e segura. É considerada uma pequena gênio por muitas pessoas.

Ela desenvolveu desde cedo uma voz muito distinta.

Com uma maturidade vocal única, ela canta com calma e segurança, com personalidade e balanço. Além disso, ela possui um incrível ouvido musical lhe permitindo um fantástico controle sobre sua voz, isso sempre impressiona todos os que têm a oportunidade de trabalhar com ela.

Amy soube desde muito nova que ela seria uma cantora e assistia entusiasmada a todos os shows de talento exibidos na televisão.

Ela também sabia que era muito nova para participar das competições, por isso quando tinha 8 anos ela pediu que sua mãe procurasse por competições que ela pudesse concorrer.

Amy queria desesperadamente subir ao palco!

Entre os seus 8 e 11 anos de idade ela participou do grupo local de Jönköping chamado “All sorted Sweets”. Amy também participou de vários musicais e peças teatrais.

Sua primeira apresentação foi também aos 8 anos, no musical “O mágico de Oz”. Depois disso ela cantou “Somewhere over the Rainbow”, a platéia foi ao delírio e aplaudiu calorosamente.

Sua primeira apresentação na TV foi em um episódio do show de talentos sueco chamado “Stars in their eyes for children” em 2000.

Quando o principal canal da TV sueca, o SVT, buscava por atores mirins para atuarem em um seriado chamado “the affected”, a professora de artes dramáticas de Amy do grupo “All sorted Sweets” a indicou para um teste. Amy passou e conseguiu um papel no seriado!

Aos 9 anos de idade Amy participou de um show de talentos e depois da sua performance a platéia começou a gritar: “Amy! Amy! Amy! Amy!” fazendo vibrar o local.

Um dia seguinte à apresentação, Amy, pela primeira vez, apareceu na primeira página dos jornais locais.

Quando Amy tinha 10 anos de idade ela viajou com a família pela Suécia para participar de diferentes shows de talento, ganhando assim muita experiência de palco. Sua voz lhe garantiu muitas manchetes naquele verão e ela ganhou 7 de 8 competições. As pessoas ficavam impressionadas com a voz de Amy e ela sempre recebia ótimas críticas por onde passava.

Aos 11 anos Amy participou do famoso show de talentos “Super Troupers”. Esta foi uma experiência fantástica para Amy e ela conquistou ainda mais fãs. O programa contava com uma professora de canto para ajudar as crianças, mas ela ficou tão impressionada com a habilidade vocal de Amy que disse “não há nada que eu poderia ensinar a ela”. Depois de “Super Troupers” o sonho de Amy foi gravar o seu próprio álbum.

Em 2004 Amy teve seu primeiro grande sucesso. Ela entrou em uma competição da rádio “Mix Megapol”, que acontecia em 10 cidades suecas. Amy foi a vencedora e o prêmio foi gravar uma música com um produtor profissional. Entre os jurados estava o produtor musical Joakim Stenhammar da gravadora “Bonnier Amigo Music”. Ao ouvir Amy no estúdio ele a ofereceu um contrato com a gravadora. A música escolhida foi “What´s in it For Me?”, que foi gravada em 1 hora e meia(!) e depois disso, Amy e seu pai voaram para Cuba, onde gravaram o primeiro vídeo clip de Amy.

O lançamento de “What´s in it For Me?”aconteceu em fevereiro de 2005 e foi um grande sucesso, sendo a terceira música mais tocada na Suécia em 2005. Outros hits vieram e Amy se tornou um sucesso também na Noruega, Dinamarca, Finlândia, Polônia e nos Países Bálticos. Seu primeiro álbum também foi lançado na Espanha, Alemanha e Holanda. A música “What´s in it For Me?” foi a mais tocada na Polônia durante todo o verão de 2005.

A popularidade de Amy foi crescendo e ela participou de vários dos principais programas de TV. Em suas apresentações Amy sempre canta ao vivo, ela nunca teve nenhum tipo de reprodutor de mídia ou vocal. Ela é sempre muito natural.

Amy também é uma ótima patinadora. Ela começou a andar de patins aos 6 anos de idade. Participou de competições e já ganhou várias medalhas. Aos 10 anos ela já fazia aula no módulo mais avançado do clube, treinando 6 dias por semana e competindo nos finais de semana. Aos 12 anos, Amy percebeu que teria que escolher entre ser cantora ou patinadora. Apesar de deixar os patins ter sido um pouco triste, essa não foi uma decisão difícil de tomar.

Foi no verão de 2005 que Amy lançou seu primeiro álbum.

Também durante o ano de 2005 Amy foi nominada a vários prêmios em diferentes categorias.

Ela foi a artista mais nova a ser nominada ao Grammy! E foram quatro nominações! Revelação do ano, artista feminina do ano, música do ano e Download do ano!

Artista mais nova a ser nominada para o prêmio Rockbjörnen, como a melhor cantora pop e melhor música (duas nominações)

Artista mais nova a ser nominada e a vencer o prêmio “Nordic Music Awards” (prêmio nórdico da música).

Artista mais nova a ser nominada e a vencer o prêmio NRJ Awards.

Ela também recebeu o prêmio Nickelodeon pela música do ano.

Amy Dimond venceu o famoso prêmio da Polônia, “The Popcorn”, como a melhor cantora pop internacional de 2006!

Em maio de 2006 Amy lançou seu Segundo álbum: “Still Me Still Now”. O álbum recebeu medalha de ouro antes mesmo de chegar às lojas, apenas com as vendas sob encomenda. Durante o verão de 2006 Amy fez uma turnê chamada “Diggiloo” e mais uma vez virou manchete em todas as cidades suecas. Ela regravou a música ”Je Ne Regrette Rien” de Edith Piaf que foi sucesso absoluto em suas apresentações.

Também naquele ano Amy foi consagrada como artista do ano pela revista “Tove”.

Além de apresentações musicais, Amy também foi modelo do catálogo Ellos, para a marca esportiva Stadium e para a marca Statoil. Ela teve um papel principal no “Calendário de Natal” do canal sueco STV em 2006.

Amy fez uma apresentação como convidada no Tributo Elvis em setembro de 2007. Ela cantou “In The Ghetto” com a TCB-band (banda original de Elvis), mais uma vez o público adorou.

Joe Esposito, amigo íntimo de Elvis e diretor da turnê, disse: “Esta é a melhor versão da música que eu já ouvi”.

O terceiro album de Amy, “Music In Motion”, gravado em 2008, atingiu o top 3 na Suécia e com isso Amy se tornou uma das jovens artistas suecas a mais vender discos no país. Durante a gravação do álbum Amy teve a oportunidade de trabalhar com produtores como Max Martin, Pete Davis e Alexander Kronlund, entre outros.

Ainda em 2008 Amy Dimond gravou um álbum dedicado ao Natal “En helt ny jul” (Um natal totalmente novo). O álbum também fez um grande sucesso, sendo o oitavo álbum mais vendido na Suécia.

Em 21 de outubro deste ano, Amy lançou o seu quinto álbum, “Swings and Roundabouts”, trabalhando mais uma vez com Robert Habolin, como compositor e produtor.

Amy:

“Foi muito divertido gravar o álbum “Swings and Roundabouts”. É realmente empolgante e educacional a possibilidade de trabalhar com Robert Habolin, que me manteve envolvida durante toda a produção do álbum. Já estamos trabalhando com o “Swings and Roundabouts” a mais de um ano e eu estou muito feliz com o resultado!

A primeira música do álbum se chama “Up” e foi escrita por Negin Djafari, que já trabalha com Amy desde sucessos como “Shooting Stars”, de 2005. O álbum “Swings and Roundabouts” também inclui as músicas “It’s My Life” e “Cowboys”. A música “It’s My Life” foi escrita por Alexander Bard/Bobby Ljungren e foi apresentada no famoso programa europeu “Melodifestivalen”. A música “Cowboys” é co-escrita por Sharon Vaughn, que participou da produção do sucesso “Release Me”, da popstar sueca Agnes).

Desde que participou do “Melodifestivalen” Amy tem feito várias apresentações da turnê “Digiloo”, participa atualmente do programa de TV “Körslaget” na Suécia, onde representa a sua cidade Jönköping. Seu próximo projeto é representar a personagem Alice, no musical “Alice In Wonderland” (Alice no país das Maravilhas), que tem sua estréia programada para o Natal no teatro Maxim em Estocolmo.

Mas até lá, tudo se resume em “Swings and Roundabouts”!